Mero


• Nome científico: Epinephelus itajara
• Classe: Peixe
• Hábitos alimentares: Carnívoro
• Status de conservação: Críticamente ameaçado


Informações gerais:

Os meros são predadores oportunistas que apesar de possuírem dentes, engolem suas presas inteiras. É uma espécie solitária que apresenta pouco movimento entre recifes, apresentando então um território restrito.

Longevidade:

37 anos.

Dieta:

Em ambiente natural se alimenta de diversas espécies de peixes e invertebrados, como lagostas e polvos. Podem até comer tartarugas-marinhas juvenis, bagres e raias. No Aquário de São Paulo consomem peixes, camarões, mariscos e vôngoles.

Tamanho:

2,5m.

Peso:

455kg.

Distribuição geográfica:

São encontrados no Oceano Atlântico. No Atlântico Ocidental ocupam desde o Sudeste do Brasil, até a Flórida (EUA). No Atlântico Oriental são encontrados desde a costa do Congo até o Senegal.


Conservação:

Os meros são criticamente ameaçados de extinção, sendo muito vulneráveis à sobrepesca e à destruição de habitat. Essa ameaça torna-se ainda mais grave quando consideramos sua lenta taxa de crescimento e maturidade sexual tardia.

Habitat:

O mero pode ser encontrado em áreas costeiras rasas, em especial em fundos coralíneos ou rochosos e com água turva, como em manguezais e costões rochosos.

Reprodução:

São animais ovíparos que se agregam em grupos de 100 ou mais indivíduos para a reprodução. As agregações demoram algumas semanas por ano, tendo um pico entre os meses de julho a setembro.

Localização no Aquário de São Paulo:

Setor Mundo Marinho.