Urso Polar


• Nome científico: Ursus maritimus
• Classe: Mamífero
• Hábitos alimentares: Carnívoro
• Status de conservação: Vulnerável


Informações gerais:

São solitários, sendo visto grupos apenas na estação reprodutiva, aonde se encontra apenas um casal, ou durante a criação dos filhotes, em que se vê a fêmea com suas crias. Ursos polares são excelentes nadadores, podendo ficar longos períodos neste ambiente para caçar e se locomover.

Longevidade:

30 anos.

Dieta:

A principal presa do urso-polar é a foca-anelada (Pusa hispida), porém ele também pode se alimentar de outros mamíferos marinhos, como baleias e morsas, além de aves marinhas e peixes. O gelo é bastante importante para a estratégia de caça dos ursos polares, com isso - durante o verão - quando o gelo retrai, alguns ursos seguem o gelo, viajando centenas de quilômetros, para manter sua fonte de alimento principal. Os ursos que ficam na terra durante o verão ficam ilhados até que o gelo retorne (apenas no outono). Em terra, o urso enfrenta períodos magros – eles raramente conseguem caçar focas em mar aberto, sem o gelo. Apesar dessa preferência pela foca-anelada, no Aquário de São Paulo os ursos polares se alimentam de uma variedade de itens, como carne suína, bovina, de aves e peixes. Além disso, itens como mel, melancia, cenoura e algumas folhas são usados como enriquecimento alimentar para os animais.

Tamanho:

3m de comprimento.

Peso:

544kg.

Distribuição geográfica:

O urso-polar é encontrado no círculo polar ártico e em áreas continentais adjacentes. A área de distribuição inclui territórios em cinco países: Dinamarca (Groenlândia), Noruega (Svalbard), Rússia, Estados Unidos (Alasca e Canadá). Os limites meridionais de sua distribuição são determinados pela disposição anual do gelo flutuante e do gelo permanente durante o inverno.


Conservação:

As mudanças climáticas causadas por ação do homem estão prejudicando hábitats, pessoas e animais, como o urso-polar. Esse animal é um dos símbolos desses danos, pois é uma das espécies que mais estão sofrendo com essas alterações no clima. Suas populações estão diminuindo muito e se nada for feito, dois terços da população de urso-polar serão extintos até 2050. Contudo esse quadro ainda não é irreversível, e se as pessoas mudarem seus hábitos, a situação pode mudar.

Habitat:

Seu habitat preferido são regiões com gelo marinho no Ártico.

Reprodução:

Entre Novembro e Janeiro, as mães dão a luz em tocas cavadas no gelo. Após se alimentarem pesadamente entre Abril e Maio, as fêmeas que acasalaram cavam uma toca no final de Outubro e início de Novembro. Os filhotes nascem parecidos com ratos brancos, com 30 a 35 cm, e pesando pouco mais de meio quilo. Eles nascem cegos, sem dentes e cobertos com pelos curtos, e são completamente dependentes de suas mães para se alimentar e se manter aquecidos. A mãe com seus filhotes saem da toca entre Março e Abril. Enquanto está na toca, a mãe não come, bebe ou defeca. Os filhotes crescem rapidamente, graças às calorias do rico leite de suas mães, que tem cerca de 31% de gordura. Os filhotes ficam com suas mães até mais ou menos 2,5 anos de idade. Apesar disso, só atingem a maturidade entre 5 e 6 anos.

Localização no Aquário de São Paulo:

Setor Mamíferos Aquáticos.