Lobo-marinho-subantártico


• Nome científico: Arctocephalus tropicalis
• Classe: Mamífero
• Hábitos alimentares: Carnívoro
• Status de conservação: Menos Preocupante


Informações gerais:

O lobo-marinho-subantártico apresenta uma coloração diferenciada entre o focinho e a região peitoral, mais evidenciada em machos. Por serem animais com limitada mobilidade terrestre, escolhem ilhas com poucos ou nenhum predador para acasalar e ter seus filhotes.

Longevidade:

Desconhecida, sendo sugerida entre 15 e 19 anos.

Dieta:

Em ambiente natural alimentam-se de uma variedade de peixes, crustáceos, cefalópodes e ocasionalmente pinguins. No Aquário de São Paulo consomem principalmente variedade de peixes.

Tamanho:

1,8m.

Peso:

165kg.

Distribuição geográfica:

É altamente distribuído no hemisfério sul, ocorrendo no Sul dos Oceanos Atlântico, Índico e Pacífico.


Conservação:

Essa espécie foi muito caçada no passado, sendo que quase se extinguiu no início do século XX. Atualmente a população está se recuperando e retomando o seu território natural. As atuais ameaças estão relacionadas com o acesso limitado à alimentação e ao aquecimento global (que também afeta a distribuição de suas presas).

Habitat:

Os machos passam a temporada de inverno no meio do mar, chegando à costa na primavera para se reproduzir. No verão, as fêmeas passam cerca de 6 a 10 dias no mar a procura de alimento para os filhotes, e no inverno aumentam para cerca de 23 a 28 dias. Preferem praias rochosas com pedras abundantes e sombra.

Reprodução:

São polígamos, possuem haréns de acasalamento. Os machos defendem seus territórios que pode ter de 6 e 20 do sexo feminino. Os machos competem por território terrestre desde Outubro e continuam até terem copulado com todo o seu harém.

Localização no Aquário de São Paulo:

Setor Mamíferos Aquáticos.