Jibóia


• Nome científico: Boa constrictor
• Classe: Réptil
• Hábitos alimentares: Carnívoro
• Status de conservação: Não Avaliado


Informações gerais:

As jiboias são animais solitários e vagam pelo solo ou subindo em árvores a procura de algum buraco ou tronco para se abrigar. São animais ectotérmicos (dependem do calor do ambiente para manter seu metabolismo) e passam boa parte do dia parados se aquecendo. As jiboias não são serpentes venenosas, tem dentição áglifa e para capturar e matar suas presas fazem constricção, utilizam de seu porte para se enrolar e apertar suas presas até que fiquem sem ar. Quando está ameaçada, a espécie produz um ruído que é caracterizado pelo som do ar passando pela cavidade oral, chamado popularmente de "bafo de jiboia" que é produzido para intimidar algum possível predador. Após se alimentar, dependendo do tamanho da presa pode passar semanas em jejum.

Longevidade:

Entre 20 e 30 anos.

Dieta:

• No ambiente natural: Anfíbios, répteis, aves e pequenos mamíferos.
• No Aquário de São Paulo: Ratos, codornas e coelhos que são oferecidos a cada 15 dias.

Tamanho:

4 metros de comprimento e 50 Kg.

Distribuição geográfica:

Florestas úmidas, cerrados e campos da América do Sul e Central.


Conservação:

A supressão do hábitat e elevado consumo dos recursos naturais compromete a distribuição desses animais, sendo alguns já encontrados em áreas urbanizadas.

Reprodução:

Os indivíduos estão aptos para reprodução com cerca de 3 anos de idade. Anualmente, os casais se encontram no Outono e depois do acasalamento a gestação pode levar de 5 a 8 meses para gerar de 10 a 40 filhotes em uma única ninhada. Os filhotes nascem totalmente desenvolvidos e são independentes.

Localização no Aquário de São Paulo:

Setor Água Doce.