Coala


• Nome científico: Phascolarctos cinereus
• Classe: Mamífero
• Hábitos alimentares: Herbívoro
• Status de conservação: Vulnerável


Origem:

Rei Billy e Princesa Julie, um casal de coalas que vive no Aquário de São Paulo, vieram transferidos do Zoológico Darling Downs, no leste da Austrália. Antes de chegarem, foram cinco anos de conversação com o governo australiano para garantir que todos os requisitos de cuidados e bem-estar animal fossem ser atendidos antes da chegada dos animais. Ao chegarem, vieram acompanhados de sua tratadora australiana, que compartilhou com nossa equipe todos os detalhes do manejo que realizavam. Essa foi à estratégia que adotamos junto ao governo australiano para garantir que os animais recebessem o melhor nível de bem-estar sob nossos cuidados e isso resultou no nascimento de um filhote, Endi. Após um ano e meio que os animais chegaram. Hoje, esses três coalas, nos ajudam diariamente a mostrar para o público que a destruição do habitat faz com que os animais se aproximem cada vez mais das cidades e das pessoas e isso traz ameaças imensas para os animais, como atropelamentos, acidentes com cães e tentativas de domesticação.

Informações gerais:

Os coalas consomem folhas de eucaliptos. Porém, apesar de ser uma planta tóxica, os coalas se beneficiam dos eucaliptos por estes serem ricos em água, permitindo que os animais não tenham que descer de suas árvores para beber água nos rios.

Longevidade:

20 anos.

Dieta:

Os Coalas são marsupiais folívoros, sua dieta é restrita a folhas de eucalipto. Aqui no Aquário de São Paulo, sua dieta é também de diversas espécies de eucaliptos, como por exemplo, [/i]Eucalyptus robusta[/i] e [/i]Eucalyptus dunnii[/i].

Tamanho:

85cm.

Peso:

12kg.

Distribuição geográfica:

Habitam o leste e sudeste australiano. Foram introduzidos também a algumas ilhas a leste da Austrália.

Conservação:

As principais ameaças atuais a esta espécie são a destruição, a fragmentação e a modificação do habitat, queimadas e doenças. Além disso, devido à perda de habitat e a maior proximidade com os seres humanos, os coalas tornaram-se vulneráveis à predação por cachorros e a acidentes com veículos, o que aumenta ainda mais a preocupação com a sua preservação.

Habitat:

Florestas fechadas e semi-abertas, tipicamente dominadas por eucaliptos.

Reprodução:

A reprodução é sazonal, com nascimentos podendo ocorrer entre outubro e maio. A gestação dura de 25 a 35 dias e o bebê coala, ao nascer com aproximadamente 0,5 gramas, se direciona à bolsa da mãe, onde permanece de 5 a 7 meses se alimentando apenas de leite e folhas pré-digeridas (para que fiquem atóxicas). Com 7 meses o filhote saí da bolsa materna e passa a ser carregado nas costas de sua mãe, sendo que apenas com 11 a 12 meses que ocorre o desmame e os filhotes passam a ficar totalmente independentes.

Localização no Aquário de São Paulo:

Setor Austrália.