Raia Motoro


• Nome científico: Potamotrygon motoro
• Classe: Peixe
• Hábitos alimentares: Carnívoro
• Status de conservação: Dados Insuficientes.

Origem:

Algumas das raias de água doce que vivem no Aquário de São Paulo chegaram aqui após uma apreensão do IBAMA que detectou estes animais sendo transportados via correio. Desde sua chegada, as raias nos ajudam a sensibilizar o público sobre o tráfico de animais e a aquisição responsável de pets. Outra origem das raias que vivem aqui é através de nascimentos.

Informações gerais:

Esta raia, como a maioria de água doce, possui um ferrão coberto por um muco venenoso e doloroso a humanos e outros organismos. Este ferrão é usado para defesa, porém a maior parte dos acidentes com humanos devem-se não a um ataque, mas por não ter visto o animal e pisar ou encostar em seu ferrão.

Longevidade:

15 anos.

Dieta:

Em ambiente natural, se alimenta principalmente de peixes e crustáceos. No Aquário de São Paulo, se alimenta de peixes e invertebrados como minhocas.

Tamanho:

100cm.

Peso:

15kg.

Distribuição geográfica:

Ocorre no Brasil, Argentina e Paraguai.

Conservação:

A maior ameaça para a espécie é a caça para o consumo de sua carne. Além desta, sofre ameaças pelo comércio ornamental de peixes e pela degradação de habitat.

Habitat:

É uma espécie generalista, vivendo em água doce tropical. Preferem águas calmas com margens arenosas.

Reprodução:

A reprodução está relacionada com o ciclo hidrológico, sendo que os animais copulam a noite e na estação chuvosa. Aparentemente o ciclo reprodutivo da fêmea produz um filhote por ano, durante três anos consecutivos, seguido de um período de inatividade reprodutiva.

Localização no Aquário de São Paulo:

Setor Água Doce.